Reservas Particulares do Patrimônio Natural & Educação Ambiental

Foto Jose Luciano

José Luciano de Souza

Especialista em Sustentabilidade Ambiental, Governança e Educação Ambiental

Reservas Particulares do Patrimônio Natural - RPPN e Educação Ambiental

As Reservas Particulares do Patrimônio Natural são unidades de conservação de domínio particular, criadas por um ato voluntário e gravada com perpetuidade, por intermédio de Termo de Compromisso averbado à margem da escritura pública da propriedade no Registro Público de Imóveis.

Ao criar a RPPN o proprietário poderá utilizar a área para o desenvolvimento de pesquisas científicas e visitação com objetivos turísticos, recreativos e educacionais previstas no seu plano de manejo.

Muitos proprietários optaram em desenvolver atividades com objetivos educacionais dentro e fora da RPPN. Além da aquisição de conhecimento, as atividades educacionais conscientizam e realizam uma mudança de comportamento perante as questões ambientais e da melhoria da qualidade de vida.

Informar, conscientizar e motivar familiares, funcionários e a população que vive no entorno da reserva quanto à responsabilidade ambiental, cria novos valores e conduz um processo para a conservação do meio ambiente e para o estabelecimento da RPPN.

A Educação Ambiental aplicada de acordo com os objetivos da reserva, pode proporcionar a formação de uma conduta mais responsável aos frequentadores ou até mesmo estabelecer um relacionamento harmônico com a comunidade local.

Os programas de educação ambiental aplicado nas RPPN, na maioria das vezes, têm como objetivo a divulgação da reserva e a conscientização da sociedade quanto à importância de sua conservação. As atividades são diversificadas e vão desde a interpretação da natureza a sensibilização pela conservação da biodiversidade realizadas durante visitas a unidade de conservação.

Outro fator importante que a educação ambiental exerce sobre a RPPN, é com relação à proteção da reserva, pois a simples divulgação que a área é chancelada pelo Poder Público como unidade de conservação faz com que algumas ameaças externas não atinjam diretamente a reserva.

Apesar do grande interesse em aplicar a educação ambiental na RPPN, os proprietários encontram dificuldades para desenvolver atividades que possam atender esse objetivo, tais como a falta de recursos, pessoal capacitado na área, material didático apropriado à realidade da reserva ou até mesmo da região.

Programas de sensibilização e capacitação de profissionais e professores na área de educação ambiental seria um ponto de partida para solucionar a falta de profissionais na área. Além de políticas públicas que possam apoiar diretamente os proprietários de RPPN no desenvolvimento de atividades de educação ambiental e na elaboração de material didático.

São vários os desafios e dificuldades encontradas para o desenvolvimento de atividades voltadas a educação ambiental na RPPN, em diversos aspectos, mas os proprietários que conseguem aplicar essas atividades na reserva ou no seu entorno, tão um grande passo para o estabelecimento e o fortalecimento da unidade de conservação, atingindo assim o principal objetivo da RPPN “conservar a diversidade biológica”.

José Luciano de Souza
Consultor Ambiental