Lembrando as Conferências da ONU

LEMBRANDO AS CONFERÊNCIAS DA ONU - Monteiro/ PB 04/12/2015

 

O Título Organização das Nações Unidas1 (ONU) foi concebido pelo Presidente norte-americano Franklin Roosevelt em janeiro de 1942, mas a Instituição só veio funcionar quando inaugurada em 24 de agosto de 1945 em São Francisco.

Foram 51 os países fundadores da Organização inclusive o Brasil. A ONU conta hoje 193 países membros. Apenas cinco constituem o Conselho de Segurança; Estados Unidos, China, Rússia, Reino Unido e França1.

A principal meta da ONU é colocar em prática mecanismos que possibilitem segurança internacional. Nos últimos anos temas como meio ambiente, pobreza, desenvolvimento, aquecimento global, desertificação e outros têm sido motivos de conferências pelo mundo afora. O Brasil por ser país membro, por enfrentar dois problemas ecológicos sérios: seca e áreas susceptíveis à desertificação (ASD) tem sido escolhido como sede de Conferências da Instituição.

Seca é tema de discussões no Brasil  desde os tempos Coloniais. Desertificação para este modesto articulista é assunto pouco conhecido da população. Só a partir da década de 1970 acompanhando os trabalhos do Professor João de Vasconcellos Sobrinho2 em Recife tivemos  conhecimento de degradação do solo e palavras novas como ecologia, sustentabilidade   que hoje  são habituais na mídia  globalizada.

Consultando bibliografia para elaborar trabalhos sobre semiárido brasileiro desde 2008, observamos que o assunto desertificação foi tratado como um problema de âmbito mundial depois que uma grande seca que assolou o Sahel, 3 região da África próximo do Deserto do Saara de 1968  a 1974. Essa grande seca causou a morte de 200.000 (duzentas mil) pessoas e milhões de animais.

A partir de 1974 a Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (SUDENE) passou a tratar com interesse o tema da desertificação no Brasil, através da preparação do Relatório Brasileiro para a Conferência de Nairóbi4 (ONU) de 1977 no Quênia.  Esse relatório foi elaborado sob orientação do Prof. Vasconcellos Sobrinho que passou a chamar a atenção, de forma veemente, das autoridades brasileiras para o problema no Nordeste onde existem  quatro Núcleos de Desertificação.

A Conferência de Nairóbi teve um papel fundamental em todo o processo de luta contra a desertificação no mundo, mostrando que os recorrentes problemas de pobreza e degradação ambiental necessitavam de um enfrentamento direto pela comunidade internacional. Foi então convocada, no âmbito das Nações Unidas, uma Conferência Internacional sobre o Meio Ambiente, que foi realizada em Estocolmo5, Suécia, em 1972. Nesta Conferência, foram discutidos vários temas relacionados à catástrofe africana e assuntos ligados a desertificação. Na Conferência de Estocolmo foi constatada a necessidade de um evento específico para tratar desse assunto.

No Rio de Janeiro foi realizada a Conferência - RIO-92 ou ECO6  e 20 anos após a RIO +207 ambas patrocinadas pela ONU. Várais outras  Conferencias foram realizadas: em Kioto - 1997, em Joanesbourg 2002, em BALI 2007, em Compenhague-2009.

Entre 2008 e 2011 foram realizados três Simpósios sobre Mudanças Climáticas e Desertificação no Semiárido Brasileiro8, nas cidade de  Petrolina/PE, Campina Grande/PB e Juazeiro / BA. O INSA- INSTITUTO NACIONAL DO SEMIÀRIDO (localizado em Campina Grande ) que é  uma Unidade de Pesquisa  Integrante do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) organizou  um livro que  é uma  síntese  destes  Simpósios que aconteceram no Nordeste  do Brasil. Em maio de 2015 novamente em Petrolina foi realizado  IV  Simpósio sobre o mesmo tema com  patrocínio da EMBRAPA.

Esta semana a ONU está promovendo mais uma grande conferencia a COP 219, também chamada Conferência do Clima de Paris que  tem  como meta  conseguir que nos próximos anos  o Planeta seja  menos quente.

Vejamos o resumo da Conferência:

 “A 21ª Conferência do Clima (COP 21) será realizada em dezembro de 2015, em Paris, e terá como principal objetivo costurar um novo acordo entre os países para diminuir a emissão de gases de efeito estufa, diminuindo o aquecimento global e em consequência limitar o aumento da temperatura global em 2ºC até 2100”.

 

Bibliografia:

1.História de ONU . Disponível em: nacoesunidas.org/conheca/historia/

2. João de Vasconcellos Sobrinho. Disponivel em : basilio.fundaj.gov.br/pesquisaescolar/index.php?option=com.

Histórico- Ministério do Meio Ambiente. Disponível em : www.mma.gov.br/gestao-territorial/combate-a.../convencao.../historico

3 África : problemas ambientais-Blogger. Disponível em : https://www.blogger.com/feeds/5184153443649608662/posts/default

4 Conferência de Nairóbi de 1977no Quênia.

5Conferência de Estocolmo (1972) Meio Ambiente) Disponível em: www.infoescola.com/meio-ambiente/conferencia-de-estocolmo

6 Conferência  Rio – 92 sobre o meio ambiente do planeta: desenvolvimento sustentável dos países. Disponível em : www.senado.gov.br/.../rio20/...rio20/conferencia-rio-92-sobre-o-meio-a.

7. RIO +20. Disponível em: www.rio20.gov.br/sobre_a_rio_mais_20.html

8 Desertificação  E Mudanças  Climáticas no Semiárido Disponível Em : www.insa.gov.br/wp.../insa.../desertificacao-e-mudancas-climaticas.pd

9. ISA na COP 21 DE Paris –socioambiental.org. Disponível  em : www.climaterealityproject.org/

 

Juracy Nunes  é médico e pequeno produtor  rural  rem Monteiro/PB  E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.